Evite gírias na redação do Enem

Você já ouviu dizer que num texto dissertativo não deve haver gíria nem marcas de oralidade. É muito comum, nas receitinhas que os professores de cursinho passam para os alunos, que não devemos fazer isso ou aquilo. O fato é que não existe receitinha, mas como afirmamos no artigo sobre qualidades e  defeitos do texto dissertativo, existem práticas que aumentam as suas chances de tirar uma nota 1000 na redação. Evitar uma linguagem que não seja dissertativa é uma delas.

Aumente sua nota na redação do Enem evitando as gírias.

"Gírias e Jargões"

O que é Gíria?

A gíria (ou calão em Portugal) é um fenômeno de linguagem especial usada por certos grupos sociais pertencentes a uma classe ou a uma profissão em que se usa uma palavra não convencional para designar outras palavras formais da língua com intuito de fazer segredo, humor ou distinguir o grupo dos demais criando um jargão próprio.

O que é Jargão?

Jargão: É a Gíria Profissional. Você sabe qual a definição desta palavra no dicionário?

Definição de "jargão" no Dicionário Houaiss: Código linguístico próprio de um grupo sociocultural ou profissional com vocabulário especial, difícil de compreender ou incompreensível para os não-iniciados.

O dicionário Aurélio dá três definições para a palavra jargão: linguagem corrompida, língua estrangeira que não se compreende e gíria profissional.

A gíria está presente no cotidiano da vida dos membros de uma sociedade, em seus diversos setores (escola, família, trabalho, lazer, igreja, dentre outros), embora usá-la adequadamente implique o domínio das diversas variedades linguísticas, de modo que para cada situação use-se um registro pertinente. Devido à presença da linguagem gíria no dia-a-dia e a uma nova concepção de língua que envolve variações, os livros didáticos de língua portuguesa começam a tratar a gíria, não mais como algo errado, de forma preconceituosa, mas como uma outra maneira de se expressar, adequada a situações especiais. O gramático Roberto Melo Mesquita divide a linguagem em níveis e inclui a gíria no que ele chama nível relaxado da linguagem, no qual há desvios da linguagem-padrão. Sua abordagem é de cunho prescritivo. Já Isabel Cabral, no seu livro didático Palavra Aberta, trata a gíria de uma perspectiva descritiva.

Exemplo 1

Situação: um jovem falando com seu pai ao telefone. O jovem fala: Ô velho, já faz um tempão que sou dono do meu nariz... Sempre batalhei, arrumei um trampo, dou um duro danado! Me empresta o carango pr'eu sair com a gata hoje? O pai responde: Só se você conseguir traduzir o que disse para uma linguagem que eu gosto de ouvir de meu filho!

Exemplo 2

O livro apresenta a letra de uma música e destaca os seguintes versos:
Leio os roteiros de viagem enquanto rola o comercial.
A seguir pede-se ao aluno:
a) A palavra que melhor substitui rolar no texto é: fazer girar passar assistir a.
b) No sentido utilizado no texto, rolar é gíria. Escreva uma frase em que rolar seja usado com o sentido de "fazer girar".