Exercícios de Português para o Enem

Este é um artigo bastante importante para quem está se preparando para a prova de Linguagem, Códigos e suas Tecnologias no Enem. Este exercício que proponho hoje trata, primeiramente, da análise de uma charge que faz parte do banco de questões que tenho a respeito das construções sintáticas que são alvo das provas de Português no Ensino Médio. Consequentemente, é o tipo de exercício que se faz na prova do Enem, exceto pelo fato de que lá as questões são de múltipla escolha. Depois disso, vamos analisar uma tirinha, gênero textual cada vez mais presente nas provas do Ensino Médio e, seguindo uma tendência dos principais exames realizados no país, também aparece no Enem. Compreender este gênero depende daquilo que o aluno aprendeu desde as primeiras séries e não temo em afirmar que assinar revistas de quadrinhos como as da Turma da Mônica ajudam bastante o aluno quando ele chega lá no Ensino Médio. Por último, trago alguns exercícios de Português bastante interessantes e relacionados à prova do Enem. Decidi trazer exercícios que exigem do aluno a compreensão da pergunta e também a capacidade de redigir respostas coerentes e coesas. Este, por si só, já é um bom exercício para a prova de redação do Enem.  Além destes exercícios, você pode conferir os artigos teóricos em nosso site. Navegue pela barra lateral e pelos marcadores de assuntos. Vamos aos exercícios.

Exercícios de Língua Portuguesa do Enem

 

1. Observe a charge a seguir.

 

charge_thumb2


a) Sabendo que o verbo ver é transitivo direto, transcreva o trecho da charge que apresenta o complemento inadequado a esse verbo, justificando sua resposta.
b) Reescreva o trecho com o complemento verbal correto.
2. Leia com atenção a tira a seguir.
lucy_thumb2
a) Qual a função sintática da expressão "por macacos", na tira? Justifique sua resposta.
b) Avisado por Lucy que "um homem criado na selva por macacos" já havia sido criado como personagem por alguém, Charlie Brown resolve adaptar o texto de sua história. para fazê-lo, produz a substituição de um elemento sintático. Qual é a substituição feita?
3. Como explicar o comentário de Lucy no último quadrinho?
Leia o texto a seguir para responder às questões 4 e 5.
A dúvida
Comunicado ou informado?
Alguns leitores da coluna querem saber se é correto dizer: "A polícia já foi comunicada ..." ou "O presidente não foi comunicado..." [...]
Quem comunica comunica alguma coisa (= objeto direto) a alguém (= objeto indireto. Isso significa que "ninguém pode ser comunicado". [...]
Outra solução é substituir o verbo comunicar pelo informar. Quem informa informa alguma coisa (= objeto direto) a alguém (= objeto indireto) ou informa alguém (= objeto direto) de alguma coisa (= objeto indireto). [...]
DUARTE, Sérgio Nogueira. Língua viva III: uma análise simples e bem-humorada da linguagem do
brasileiro. São Paulo: Rocco, 2000. (Fragmento).
4. Considerando a explicação de Sérgio Nogueira Duarte sobre o verbo comunicar, responda às questões a seguir.
a) Como ele é classificado do ponto de vista da transitividade verbal?
b) A estrutura sintática apresentada nas frases que suscitaram a dúvida dos leitores não é a mesma utilizada por duarte em sua explicação. Explique em que consiste a diferença entre as duas estruturas e diga qual a função exercida pela "coisa comunicada" nos enunciados transcritos no texto.
c) Com base na sua resposta ao item anterior, reescreva as frases de acordo com as possibilidades gramaticalmente corretas.
5. Considerando as respostas dadas ao exercício anterior e a explicação dada por Duarte no último parágrafo, faça a substituição do verbo comunicar pelo verbo informar.
6. Leia o texto a seguir.
PRAZER & PESAR
Leitor desta coluna, que prefere o sossego do anonimato, literalmente exumou este inesquecível anúncio fúnebre publicado no Estadão em 10/10/1981: "É com prazer que a Diretoria e Funcionários da Terrafoto S/A comunicam o falecimento de seu colega ENG° SERGIO..." (segue-se o sobrenome, que omito por respeito ao falecido).
JAPIASSU, Moacir. Jornal da Imprença: a notícia levada açério. São Paulo: Jornal dos Jornais, 1997.
(Fragmento).
a) O que, no anúncio fúnebre, causa espanto e faz com que este mereça a "exumação"?
b) Qual seria o anúncio esperado?
c) Como se classifica, do ponto de vista sintático, a expressão que causa a inadequação do texto?
7. Leia a tira a seguir.
hagar-patos_thumb2
a) Hagar caracteriza a si próprio por meio de uma sequência de expressões: "o horrível", "terror dos mares", "conquistador dos continentes", "líder de legiões". Que função sintática é exercida por esses termos?
b) De que maneira essa função sintática contribui na criação do efeito de humor?
8. Leia o texto a seguir.
A DÚVIDA
RÁPIDO ou RÁPIDA?
Leitor quer saber se a frase "A bola tem que chegar rápida ao ataque" está certa.
Não é a bola que é rápida. RAPIDAMENTE é o modo como a bola deve chegar ao ataque. [...]
DUARTE, Sérgio Nogueira. Língua viva III: uma análise simples e bem-humorada da linguagem do
brasileiro. São Paulo: Rocco, 2000. (Fragmento).
a. A partir da explicação de Sérgio Nogueira Duarte, é possível identificar a função sintática exercida pelo termo em destaque. Qual é ela?
b. Como deve ser reescrita a frase para que esteja de acordo com a norma gramatical? Justifique sua resposta.
9. Observe o verbo destacado nas duas frases a seguir.
Ando muito distraída ultimamente.
Nunca andei tanto para chegar a algum lugar.
a. O verbo destacado classifica-se da mesma forma nas duas orações? Justifique sua resposta.
b. Considerando a classificação do verbo em destaque nas duas orações, identifique o tipo de predicado existente em cada uma delas.
10. Leia o período a seguir.
Todo movimento é fácil quando se sabe o que se está fazendo, mas, para quem não sabe para onde se voltar, os obstáculos são intransponíveis.
a. Transcreva desse período duas orações formadas por predicados nominais.
b. Indique, respectivamente, os predicativos do sujeito desses predicados nominais.
11. Observe atentamente as frases a seguir.
Cantavam harmoniosamente as crianças. As crianças brincavam felizes.
a. Indique a função sintática exercida pelos termos destacados nas duas frases.
b. Identifique o tipo de predicado presente em cada uma delas.
Leia o texto a seguir.
Invadir e depredar — Foi para exigir o aumento que não podem decretar em benefício próprio que os metalúrgicos fizeram greve e invadiram a Volkswagen. Um jornal deu então a manchete: "Grevistas invadem e depredam na Volks". É claro que o redator sabe que os verbos invadir e depredar são transitivos diretos e só se equilibram no sentido acompanhados pelo objeto direto. Caso contrário cambaleiam trôpegos como a tartarugosa justiça patrícia. Invadir algum lugar; depredar alguma coisa.
MACHADO, Josué. Manual da falta de estilo. São Paulo: Best Seller, 1994. (Fragmento).
12. Josué Machado aponta uma impropriedade na construção sintática da manchete publicada em um jornal.
a. Que impropriedade é essa? Justifique sua resposta com uma passagem do texto.
b. Na sua crítica, o jornalista não comete o mesmo erro que está presente na manchete. transcreva os trechos em que a construção sintática adequada aparece e indique o elemento que exerce a função sintática exigida nesse tipo de construção.
Leia o texto a seguir para responder às questões de 13 a 15.
Mestre José Nêumanne sugere uma pauta de imensa utilidade pública: "Você telefona para alguém e quem atende normalmente pergunta: 'Quem deseja?' Dá vontade de responder: 'Eu desejo a Vera Fischer, e você?' "
Muito bem lembrado, o famigerado quem-deseja. [...] Sim, trata-se de uma expres-sãozinha danada de irritante. Se bem que, pelo menos, tem um fundo positivo. Coloca nas alturas a pessoa "desejada" — na maioria das vezes, um superior hierárquico que paga o salário da criatura que atendeu o telefone — sem no entanto nos negar de antemão a possibilidade de completar a ligação.
FREIRE, Ricardo. The Best ofXongas. São Paulo: Mandarim, 2001.   (Fragmento).
13. A expressão quem deseja, a que se refere Ricardo Freire, usualmente, em resposta a uma ligação telefônica, traz um subentendido.
a. Que subentendido é esse?
b. Como deve ser classificado o verbo desejar nesse caso? E a oração subentendida?
14. Ao responder "eu desejo a Vera Fischer, e você?", o autor atribui ao verbo desejar outro significado.
a. Qual é ele?
b. Do ponto de vista gramatical, como são classificados o verbo em questão e a expressão "a Vera Fischer"?
15. Segundo Freire, a utilização dessa expressão tem um fundo positivo. Por quê?
16. Nas duas frases a seguir, verifica-se uma diferença quanto à função sintática exercida pela expressão "trombadinha". Explique em que consiste essa diferença.
"pega trombadinha!"
"pega, trombadinha!