Análise de redação sobre política

Esta é a a análise de um texto dissertativo com comentários e sugestões de reescrita.



Políticas democráticas
As políticas públicas são, essencialmente, formas de governar os países considerando as minorias. Cria-se projetos que promovem a inserção dos indivíduos que não tem acesso as formas de cultura erudita, pois não há investimento no setor educacional brasileiro, que comparado ao sistema privado, é deficiente. Logo, esta deficiência precisa ser mudada, uma vez que o Brasil é um país de todos e há muito tempo sofre com estas deficiências.
Entretanto, quando pensamos as práticas políticas nacionais, caímos no fato que nos remete a história brasileira anterior ao processo de democratização que se fez de modo excludente e elitista, voltada as classes urbanas sempre priorizadas pelos governantes brasileiros eleitos em eleições diretas. Isto é comprovado, por exemplo, com o governo de Getúlio Vargas presidente que se suicidou por buscar o segundo mandado.
Como visto acima, os mecanismos apresentados pelo poder público muitas vezes são variadas formas de obter sucesso no âmbito citado já que os individuos caracterizam-se de acordo com as ideologias apresentadas na década de 1930. A partir desse argumento percebemos o ciclo vicioso criado entre a busca do desenvolvimento sustentável e formas de conter os problemas sociais recorrentes nas favelas das grandes cidades.
Conclui-se que há a necessidade da criação de medidas de conscientização da população que deve lutar por seus direitos nas ruas, reinvindicando suas vontades diante do governo que não intercede pela sociedade. Portanto reivindicar significa ter uma visão crítica em relação ao governo, pois vivemos numa sociedade desigual e sem moral.
COMENTÁRIOS SOBRE A REDAÇÃO

Introdução

As políticas públicas são, essencialmente, formas de governar os países considerando as minorias. Cria-se projetos que promovem a inserção dos indivíduos que não tem acesso as formas de cultura erudita, pois não há investimento no setor educacional brasileiro, que comparado ao sistema privado, é deficiente. Logo, esta deficiência precisa ser mudada, uma vez que o Brasil é um país de todos e há muito tempo sofre com estas deficiências. Comentário: O tema proposto apresenta dois assuntos relacionados, porém na contextualização introdutória é preciso abordá-los de maneira conjunta, um desenvolvimento tangencial ao tema. O candidato, no presente e parágrafo, introduz apenas uma das questões presentes na proposta. No âmbito ideológico há dois problemas: o primeiro é a redução das penas às minorias e o segundo é a associação desse mesmo pensamento à criação de projetos, destir  mo tem acesso "às formas de cultura erudita". Além disso, a discussão restringe-se somente ao Brasil, que não é citado diretamente na frase tema.

No aspecto gramatical, há desvios relacionados à concordância verbal na voz passiva sintética: "cria-se projetos" em que observamos um sujeito no plural e seu respectivo predicado no singular; no trecho "acesso as formas de cultura erudita ", pontuamos a ausência do acento grave - às formas de cultura erudita -, para indicar a função do complemento nominal. No último período constatamos um problema de referência discursiva: "esta deficiência" não retoma anaforicamente nenhum pensamento anterior, como na aplicação de "essa deficiência".

Sugestão de reescritura

Destinada à coletividade, as políticas públicas são o conjunto de diretrizes, normas e ações efetuadas pelo Estado em busca de mudanças que favorecem o desenvolvimento social. Dessa forma, a melhoria na qualidade de vida nesse âmbito auxilia na manutenção dos direitos básicos dos seres humanos. No entanto, em países emergentes, faltam investimentos em políticas sociais, o que privilegia o setor econômico fazendo com que não ocorram mudanças sociológicas.

Desenvolvimento 1

Entretanto, quando pensamos as práticas políticas nacionais, remetemo-nos à história brasileira anterior ao processo de democratização que se fez de modo excludente e elitista, voltada as classes urbanas sempre priorizadas pelos governantes brasileiros eleitos em eleições diretas. Isto é comprovado, por exemplo, com o governo de Getúlio Vargas presidente que se suicidou por buscar o segundo mandado.

Comentário: Inicialmente, há a utilização inadequada da conjunção "entretanto" que expressa, predominantemente, uma desconstrução de ideias anteriormente apresentadas. Sua aplicação antecipada ocasiona uma oposição do que foi exposto na tese, o que prejudica a credibilidade do texto. Há, ainda, a superposição de ideias em um único período e a utilização inapropriada do contexto histórico do Estado Novo como recurso de interdisciplinaridade, cuja clareza se perde em relação ao texto.

Apresentam-se os desvios gramaticais: a concordância nominal e crase no trecho "ao processo de democratização... voltada(o) as(às) classes urbanas" em que o vocábulo "voltada" deve se relacionar sintaticamente com "processo"; o emprego do pronome demonstrativo "isto", ,quando na verdade caberia em seu lugar o vocábulo anafórico "isso"; o equívoco no uso do parônimo "mandado", que no contexto tem sentido de "mandato"; o pleonasmo caracterizado pela utilização dos vocábulos "eleitos em eleições" que marca uma redundância.

Sugestão de reescritura

Pensar o desenvolvimento econômico implica direcionar esforços que incidem, sobretudo, nas relações globais entre as nações. De acordo com Stuart Hall, sociólogo contemporâneo, há uma linha tênue entre aspectos econômicos em relação às transformações sociais. Segundo o autor, essas caracterizam-se pela rediscussão da identidade cultural e aqueles a partir de uma delineação capitalista, indissociáveis na contemporaneidade.

Desenvolvimento 2

Como visto acima, os mecanismos apresentados pelo poder público muitas vezes são variadas formas de obter sucesso no âmbito citado já que os indivíduos caracterizam-se de acordo com as ideologias apresentadas na década de 1930. A partir desse argumento percebemos o ciclo vicioso criado entre a busca do desenvolvimento sustentável e formas de conter os problemas sociais recorrentes nas favelas das grandes cidades.

Comentário: A construção "como visto acima" é problemática, pois não estabelece textualmente uma relação semântica clara com as ideias apresentadas anteriormente, além de se caracterizar como uma forma de pouco engajamento do texto. Os três sintagmas "variadas formas", "âmbito citado" e "ideologias apresentadas" apresentam-se de modo vago e pouco esclarecedor no parágrafo. Além disso, a expressão "ciclo vicioso" é um clichê bastante recorrente em textos argumentativos, uma vez que constitui um vício de linguagem, resolvido a partir de sua troca pela expressão equivalente "círculo vicioso". Ainda, a estrutura adverbial "a partir desse argumento" é vaga, pois não há um embasamento sobre o qual podemos associar essa assertiva. Por fim, com a inserção do trecho "conter os problemas sociais recorrentes nas favelas das grandes cidades" há uma visão reducionista que nos remete a restrição dos problemas aos âmbitos recortados.

No que tange à estruturação, observa-se a ausência de vírgulas: anterior à oração adverbial "já que os indivíduos caracterizam-se...", posterior à construção adverbial "a partir desse argumento". Também no vocábulo paroxítono "indivíduos" não há a marcação gráfica na sílaba tônica, a saber, "indivíduos".

Sugestão de reescritura

Pontua-se, por outro lado, o caráter problemático da implementação e do acompanhamento das políticas públicas, não pensadas a longo prazo. Nessa medida, as propostas paliativas tornam-se mecanismos atenuantes para a resolução das dificuldades de concentração de renda entre outras adversidades sociais. Por conseguinte, uma análise acerca dos resultados obtidos por meio desses planejamentos revela-nos a ausência na manutenção das medidas apresentadas.

Conclusão

Conclui-se que há a necessidade da criação de medidas de conscientização da população que deve lutar por seus direitos nas ruas, reinvindicando suas vontades diante do governo que não intercede pela sociedade. Portanto reivindicar significa ter uma visão crítica em relação ao governo, pois vivemos numa sociedade desigual e sem moral.

Comentário: Em um primeiro momento, localiza-se a expressão "conclui-se que" que revela pouco engajamento textual e constitui um clichê recorrente em textos argumentativos. Há um tom panfletário no primeiro período do texto, especificamente no trecho "criação de medidas de conscientização da população que deve lutar por seus direitos nas ruas".

Constata-se a superposição das estruturas encabeçadas pela preposição de: "a necessidade da criação de medidas de conscientização da população". Além disso, há um desvio ortográfico em relação à palavra "reinvindicando", que é grafada "reivindicando".

Sugestão de reescritura

É pertinente que se fale na mescla das necessidades econômicas e sociais, pois ambas ainda são dicotômicas, quando postas em questão nas discussões internacionais. A fim de que essas demandas sejam interpoladas, devem-se redirecionar as propostas de cunho global, com o intuito de promover o acompanhamento social, de modo a preservar um desenvolvimento aplicado.

COMENTÁRIO GERAL

Com relação à contextualização temática da redação mediana, encontram-se algumas carências ligadas à abordagem: "Isto é comprovado, por exemplo, com o governo de Getúlio Vargas presidente que se suicidou por buscar o segundo mandado." A utilização do dado histórico como inclusão de interdisciplinaridade ao texto, além de caracterizar uma falha relacionada diretamente à compreensão do texto, devido à falta de conexão das ideias propostas, demonstra também a argumentação sem fundamentação, pois não apresenta um desenvolvimento ao longo do parágrafo. Equívocos como esse podem ocasionar na perda de pontos nas competências 2 e 3 do ENEM, principalmente interdisciplinaridade e argumentação, respectivamente.

Ainda sobre a abordagem argumentativa, há alguns desvios sutis relacionados à colocação de alguns termos como, por exemplo, "como visto acima". A seleção inadequada desses vocábulos pode comprometer sua coesão. No entanto, não observamos problemas de coerência nesse texto, visto que as ideias estabelecem relação interna. Há, ainda, a restrição temática focada somente às questões brasileiras, assunto não explicitado especificamente na frase tema. Desse modo, sua abordagem pode ser considerada limitada, assim como sua interpretação e seu entendimento sobre a proposta.

Relacionados à norma culta, há alguns desvios, não tão marcantes, mas que podem acarretar, também, perda de poucos pontos na primeira competência - norma culta - como podemos ver em "mandado" e "ciclo vicioso". A última, além de ser considerada uma expressão de utilização clichê, comprometendo o estilo criativo de seu texto, é escrita erroneamente, a saber, "círculo vicioso". Embora as competências mais características do ENEM sejam interdisciplinaridade e proposta de intervenção, normal culta é igualmente pontuada, visto que todas as cinco competências tem o mesmo valor de pontuação: 200 pontos.

Sobre a conclusão da redação, há a exigência especificamente da elaboração de uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Entretanto, não são consideradas todas as propostas que apenas apresentem um tom interventivo. É preciso elaborar uma intervenção que seja concreta e viável, principalmente, além de objetiva e que não restrinja as ideias a nenhum grupo social, econômico ou político. Propor medidas apenas às escolas, ou governantes, por exemplo, além dessa restrição, apresenta a visão limitada acerca da problematização desenvolvida ao longo do texto. Apresentar, também, uma retomada clara de sua tese, atribui à sua redação a característica de boa compreensão textual além de uma conclusão coerente com seus argumentos.

UMA POSSÍVEL REDAÇÃO EXEMPLAR
Destinada à coletividade, as políticas públicas são o conjunto de diretrizes, normas e ações efetuadas pelo Estado em busca de mudanças que favorecem o desenvolvimento social. Dessa forma, a melhoria na qualidade de vida nesse âmbito auxilia na manutenção dos direitos básicos dos seres humanos. No entanto, em países emergentes, faltam investimentos em políticas sociais, o que privilegia o setor econômico fazendo com que não ocorram mudanças sociológicas.
Pensar o desenvolvimento econômico implica direcionar esforços que incidem, sobretudo, nas relações globais entre as nações. De acordo com Stuart Hall, sociólogo contemporâneo, há uma linha tênue entre aspectos econômicos em relação às transformações sociais. Segundo o autor, essas caracterizam-se pela rediscussão da identidade cultural e aqueles a partir de uma delineação capitalista, indissociáveis na contemporaneidade.
Pontua-se, por outro lado, o caráter problemático da implementação e do acompanhamento das políticas públicas, não pensadas a longo prazo. Nessa medida, as propostas paliativas tornam-se mecanismos atenuantes para a resolução das dificuldades de concentração de renda entre outras adversidades sociais. Por conseguinte, uma análise acerca dos resultados obtidos por meio desses planejamentos revela-nos a ausência na manutenção das medidas apresentadas.
É pertinente que se fale na mescla das necessidades econômicas e sociais, pois ambas ainda são dicotômicas, quando postas em questão nas discussões internacionais. Afim de que essas demandas sejam interpoladas, devem-se redirecionar as propostas de cunho global, com o intuito de promover o acompanhamento social, de modo a preservar um desenvolvimento aplicado.