Exercício de análise de tema de redação

A proposta hoje é bastante diferente. Quase nunca somos levados a pensar na coletânea de textos que nos é oferecida. O pior é que qualquer docente que queira fazer isso em suas aulas ainda ouvirá que está enrolando, que não preparou a aula ou que não está dando matéria. Como sei que vocês não são assim, vamos ao exercício que mostra um pouco do que faço dentro da plataforma do meu curso de Português Online.


Interprete de forma completa o tema abaixo:

A partir dos trechos abaixo, elabore um texto dissertativo-argumentativo em que você apresente suas reflexões sobre o brasileiro e a questão da moral.

Texto I
"Nas últimas semanas, a imprensa tem se dedicado a analisar a frouxidão moral dos brasileiros. Está certo. Os brasileiros são moralmente frouxos mesmo. Isso ninguém discute."
Diogo Mainardi
Texto II

Cena 9 - Canção do exílio
Minha terra tem campos de futebol onde cadáveres amanhecem emborcados pra atrapalhar os jogos. Tem uma pedrinha cor-de-bile que faz "tuim" na cabeça da gente. Tem também muros de bloco (sem pintura, claro, que tinta é a maior frescura quando falta mistura), onde pousam cacos de vidro pra espantar malaco. Minha terra tem HK, AR15, M21, 45 e 38 (na minha terra, 32 é uma piada). As sirenes que aqui apitam, apitam de repente e sem hora marcada. Elas não são mais das fábricas, que fecharam. São mesmo é camburões, que vêm fazer aleijados, trazer tranquilidade e aflição.
Fernando Bonassi
Texto III

Ser brasileiro
Somos um povo sui generis em vários aspectos. Alguns ditados populares têm lá a sua razão de ser. Aqui há "leis que pegam" e "leis que não pegam", depende de a quem se aplica. A rigidez da letra fria da lei esbarra no "jeitinho brasileiro", no "favor", no quebra-galho. Sérgio Buarque de Hollanda aponta algumas características de nossa formação social no clássico "Raízes do Brasil". Somos um povo cordial e intimista. Em que outra nação conhecem-se as pessoas pelo apelido diminutivo, inclusive após o honorífico, como por exemplo: "Seu Luizinho", "Dona Candinha"... Até alguns santos merecem tratamento informal, como Santa Terezinha e o Menino Jesus por exemplo.
Lázaro Curvelo Chaves
1. Analise a proposta, determinando especificamente o que deve ser abordado.

Elabore uma tese que servirá de base para a defesa do ponto de vista sobre o tema.

3.  Levante três argumentos que serão usados como base para a sua tese.

4.  Agora, confeccione um parágrafo argumentativo com cerca de seis linhas baseado em um de seus argumentos citados.

Solução comentada dos itens

1.  Considerando que análise de palavra-chave é uma etapa fundamental da interpretação temática, é importante que o aluno saiba conceituar moral. Seria impossível, por isso, fugir da questão da ética. Portanto, é importante perceber basicamente: a questão da assimilação social dos valores - que fundam e fundamentam regras de convívio - e a ideia de "fazer a coisa certa sem que isso seja uma regra/ordem". Um bom recorte para a relação entre a questão moral e o brasileiro é partir das noções de moral individual e moral coletiva.

2.  A falta de seriedade do brasileiro é fruto de uma alienação forçada que, por sua vez, é fruto da influência, na moral individual, da falta de moral social.

3.

A1) O excesso de comportamentos desviantes cria uma nova noção de certo e errado. Assim, há uma banalização do erro, que é repetido sem medição de consequências.

A2) A compreensão plena da questão moral só se dá na fusão entre o individual e o coletivo. O "mas todo mundo faz/faria isso"cria uma aceitação social de condutas imorais.

A3) Por mais que a moral individual crie, para o brasileiro, determinadas regulações - sanções, impedimentos e até mesmo culpa - a frequente corrupção da moral coletiva, observada por ele em seu cotidiano, pode motivá-lo a ferir a sua também.

4. Mais um fator interfere na relação entre o brasileiro e a moralidade: a falta de moral social. Por isso, mesmo quando ele possui valores sociais e costuma obedecer a regras de convívio, pode perceber condutas imorais de outras pessoas de seu convívio. Condutas, inclusive, muitas vezes bem recompensadas ou, de alguma forma, vantajosas. Assim, ele se sente incitado a desrespeitar a moral também.